A Associação Sindical Autónoma de Polícia (ASAPOL), apoia os Polícias seus associados a vários níveis, incluindo

o apoio social. No dia 31/01/2018, esta associação teve conhecimento que um profissional da Polícia Segurança Pública,

nosso associado encontrava-se descompensado, sofrendo de perturbações no âmbito de saúde mental. Fomos também

informados que a Polícia de Segurança Pública só poderia ajudar o seu profissional dali a oito dias.

A ASAPOL, tem um lema que é o seguinte “NAS TUAS MAIORES DIFICULDADES NUNCA ESTARÁS

SOZINHO”, pelo que de imediato esta associação marcou e suportou financeiramente uma consulta de psiquiatria ao

associado e vai acompanhar no futuro este elemento de perto.

De outra forma não fazia sentido, se os Polícias resolvem de imediato as ocorrências que são confrontados

com pessoas que sofrem de perturbações mentais encaminhando-os de imediato para os estabelecimentos de saúde

apropriados, porque motivo o nosso profissional teria de esperar oito dias?

Os Polícias estão sujeitos a inúmeros fatores de risco, capazes de originar acidentes ou doenças profissionais

relevantes. Tais riscos advém de turnos prolongados devido às ocorrências que são solicitados a resolver,

turnos noturnos, turnos rotativos, Stress/burnout e o próprio risco dos diversos acidentes possíveis em que a

vida humana é ameaçada ou mesmo interrompida e quando um profissional é mentalmente afetado pela profissão

que exerce o que lhe espera é um processo disciplinar, por algum dever violado. Contudo a ASAPOL defende

que os Polícias devem ser acompanhados de perto e tentar integrá-los novamente na corporação não os abandonar à sua

sorte, que bem sabemos como muitos casos terminam.

No início de 2018, foi aprovado na Assembleia da República uma proposta de subsídio de risco, (mais do que justo),

a atribuir aos profissionais da Polícia de Segurança Pública, vamos aguardar a celeridade e a consideração

que a classe política tem pelos profissionais da Polícia de Segurança Pública, que é unânime entre os políticos

a atribuição do subsídio de risco, mas quando se encontram no poder olham para os lados e rapidamente

se esquecem destes profissionais.

Aos profissionais de polícia não basta palavras doces quando as coisas correm bem como “a atividade das

forças de segurança e o empenho dos seus profissionais constitui um "contributo relevante" para o

posicionamento privilegiado de Portugal e da Madeira em termos de segurança interna ao nível da Europa

e do mundo.
Os Polícias precisam de apoio quando as coisas correm menos bem e nessa altura ouvem “ Saberemos

também, face a episódios negativos recentes que afetaram a imagem e a confiança na instituição,

protagonizados por quem não honra o compromisso de ser polícia, encontrar as soluções adequadas

e continuar a trabalhar com dedicação e ultrapassar as dificuldades por forma continuar a merecer

a plena confiança dos portugueses".

Toda a comunidade Policial se recorda destas palavras, por isso a ASAPOL estará atenta aos problemas

que afetam os Polícias e em particular os seus associados e denunciará todas as irregularidades que lhe

forem do seu conhecimento.

O APOIO SOCIAL NA ASAPOL É UMA REALIDADE.